A estrutura anatômica do coelho

Загрузка...

A estrutura externa e interna do coelho é fundamentalmente semelhante aos organismos de outros mamíferos. Embora tenha certas diferenças relacionadas a pertencer à família dos lebres. Eles têm peles grossas e orelhas de tamanho grande, cujo comprimento pode atingir um terço do tamanho de todo o corpo. Dependendo da pertença a uma raça ou outra, a aparência dos animais pode diferir ligeiramente, mas a estrutura dos órgãos internos corresponde às características gerais do género dos coelhos.

Características da estrutura anatômica e constituição

Muitos anos de trabalhos de reprodução destinados à criação de carne, peles e raças decorativas permitiram a criação de animais que diferem entre si em algumas características da estrutura anatómica. Na criação moderna de coelhos, existem 4 tipos principais de constituição de coelhos:

  • animais de constituição rústica com cabeça desproporcionalmente grande, esqueleto maciço e músculos bem desenvolvidos;
  • coelhos padrão com uma forte constituição do corpo, com um peito largo, um sistema muscular bem desenvolvido e uma pequena cabeça alongada ou arredondada;
  • animais tenros de raças decorativas com músculos pouco desenvolvidos e ossos frágeis;
  • Os coelhos de constituição úmida são grandes em tamanho, mas seus músculos são frouxos, seus pêlos não são espessos e uma grande quantidade de gordura se acumula sob a pele.

Dependendo do tipo de estrutura do corpo, os animais são classificados como carne, carne, pele ou rochas ornamentais. Este último pode ter um comprimento de corpo de 20-25 cm a 1 m, e a cor do pêlo é caracterizada por uma grande variedade de cores e tonalidades.

Pequenos animais com orelhas compridas

Coelhos de várias raças diferem um do outro em um exterior. Os mesmos sinais podem ser positivos e negativos para diferentes membros da família dos lebres.

Os machos têm uma cabeça maior que as fêmeas, mas devem ser sempre proporcionais ao resto do corpo. A cor dos olhos brilhantes varia de preto a vermelho e rosa (em albinos).

A maioria dos coelhos tem orelhas longas e eretas capazes de atingir um terço do comprimento total do corpo. Mas há pedras de orelhas caídas.

O pescoço pode ser padrão ou encurtado, mas seus músculos devem facilmente manter a cabeça maciça de indivíduos gigantes. A estrutura dos coelhos pode ter uma forma cilíndrica (em chinchilas), tradicionalmente atarracada (azul vienense) ou retangular (prata). Animais de baixo parecem uma bola.

Um traço característico de um coelho em desenvolvimento é um dorso e uma cintura iguais. Jubarte é considerado um defeito, e tais animais não devem ser autorizados a reproduzir descendentes.

As fêmeas de raças grandes podem ter uma barbela maciça. Isto não é um defeito, mas um sinal do estado normal do animal.

Corpo musculoso e pele macia

A estrutura do crupe e do sacro pode ser redonda ou larga (as fêmeas engatinham mais facilmente) e o crupe cortado ou caído é um defeito sério e o primeiro sinal de que o coelho precisa ser rejeitado.

As patas devem ser fortes e resistir ao peso corporal. Qualquer curvatura e pé torto são considerados defeitos e podem indicar o desenvolvimento de raquitismo.

A barriga de coelhos saudáveis ​​é grande e resiliente. A presença de qualquer endurecimento indica problemas de saúde e requer tratamento imediato. O coelho deve ter pelo menos quatro pares de glândulas mamárias bem desenvolvidas. A pele de um animal saudável é elástica. Nos machos, é um pouco mais áspero do que nas fêmeas.

Pele de coelho é delicada e sedosa. Tem uma espessura e comprimento diferentes, mas sempre brilha em animais saudáveis. Ushastiki tem uma única cor uniforme (gigante branco, coelhos Nova Zelândia), ou uma cor multi-colorida de pele (em arminho russo). Os representantes de algumas raças (chinchila) cor da pelagem pode ser zonal.

As fêmeas que trazem a prole são um pouco maiores que os machos, embora a estrutura externa do corpo seja mais macia. Os animais atingem rapidamente a maturidade sexual e podem trazer no ano de 24 a 60 filhotes.

Sistema Musculoesquelético de Coelho

A base do sistema esquelético do coelho é uma longa coluna vertebral, na qual o crânio, os ossos do peito com costelas, bem como os membros anteriores e posteriores são fixados usando cartilagem e tecido conjuntivo.

No total, o corpo do coelho 212 ossos. Nos bebês, o peso ósseo pode chegar a 15% da massa total do animal e, em um indivíduo adulto, esse número cai para 10%.

Os especialistas compartilham o esqueleto axial, que consiste da coluna e do crânio, além do periférico, que inclui o tórax, ossos e membros pélvicos.

O crânio do coelho é pouco diferente na estrutura do crânio de qualquer outro mamífero. A coluna é dividida nas regiões cervical, torácica, lombar, sacral e caudal.

A mobilidade do pescoço é obtida por 7 vértebras cervicais. Os músculos estão ligados aos ossos torácico, lombar e sacral para garantir alta mobilidade e capacidade de salto desses animais.

A anatomia dos coelhos das raças de carne é mais grosseira, e os poderosos ossos dos membros possibilitam manter uma massa que atinge 12-15 kg. Os músculos são representados pela musculatura estriada e as paredes vasculares são representadas pelo tecido muscular liso, o que garante a permeabilidade do sangue e dos nutrientes.

Os órgãos internos do coelho são cobertos com uma camada de gordura que os protege de danos mecânicos.

A estrutura do sistema cardiovascular

O músculo estriado cardíaco empurra o sangue, direcionando-o para todos os órgãos e tecidos do animal. O coração de coelho é um pequeno saco muscular, composto por dois átrios e dois ventrículos. Com um peso médio de 6-6,5 g, é reduzido de 110 para 160 vezes por minuto.

O sangue arterial entra nos órgãos e tecidos do animal através da grande circulação. Pobre sangue nas veias retorna ao coração. Em um pequeno círculo de circulação sanguínea, ele é redirecionado para os pulmões, onde é novamente enriquecido com oxigênio, necessário para o funcionamento normal do corpo.

No corpo de um coelho de tamanho médio contém cerca de 280 ml de sangue, na sua composição - glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas.

O movimento constante do sangue garante a manutenção da temperatura no corpo do animal. No inverno, o valor padrão é de cerca de 37 graus Celsius, e no calor pode subir para 40-41.

A medula óssea é responsável pela formação do sangue e o baço destrói as células sanguíneas danificadas ou em excesso.

Características do trato gastrointestinal

O sistema digestivo dos coelhos é representado pelo aparato da mandíbula, o esôfago, o estômago e os intestinos, nos quais ocorre o processamento e a divisão dos alimentos, bem como a absorção de nutrientes.

Coelhos no nascimento têm 16 dentes, que até o final da terceira semana são substituídos por 28 dentes adultos.

Os dentes crescem ao longo da vida, portanto os animais são obrigados a moê-los constantemente, usando rações duras. Leia mais no artigo "Quantos dentes têm coelhos".

Os coelhos são herbívoros, o estômago é bastante volumoso e pode conter até 2000 metros cúbicos. veja comida vegetal.

Devido ao conteúdo de ácido clorídrico concentrado e pepsina, bem como a atividade das enzimas gástricas, o processo de digerir os alimentos e assimilar os nutrientes é rápido. Sobre os problemas do trato gastrointestinal e como eliminá-los, leia o artigo "Causas e tratamento do inchaço nos coelhos".

Fibra no estômago não quebra e entra em uma forma esmagada no intestino.

Os restos de alimentos não digeridos e resíduos são excretados 9 horas após a ingestão.

Sistema respiratório e seu papel na vida do coelho

O sistema respiratório é representado pelo nariz, garganta, traquéia e pulmões. A estrutura complexa da cavidade nasal permite que os animais resfriem o ar quente do verão e o aqueçam no inverno, protegendo assim os pulmões de queimaduras e queimaduras.

A taxa de respiração em coelhos é muito alta. Em média, por minuto, ele é capaz de levar até 282 respirações, passando cerca de 5 mil metros cúbicos pelos pulmões emparelhados. cm de ar. Nos alvéolos, o oxigênio é absorvido pela hemoglobina, que é parte dos glóbulos vermelhos, e é transportado junto com o sangue através do corpo.

Os coelhos são muito sensíveis e podem sufocar com os gases de amônia que se acumulam nas células raramente limpas. No ar fresco, os animais crescem muito rapidamente. Eles têm um grande apetite, adoecem um pouco e rapidamente ganham peso industrial. Ao mesmo tempo, a pele adquire excelentes características de produção.

Outros sistemas de órgãos internos

Os sistemas urinário e excretor de coelhos são representados pelos rins, ureteres e uretra, além de glândulas sudoríparas e sebáceas, que protegem o corpo da hipotermia e do calor excessivo.

Os rins filtram o sangue venoso, limpando-o de substâncias nocivas. Interrupção do seu trabalho leva a uma deterioração acentuada na saúde do animal de estimação e sua morte.

O fluido, chamado de urina, se acumula na bexiga através da uretra e é excretado no ambiente externo. Está saturado com uréia e amônia e deve ser removido das células em tempo hábil.

Os órgãos genitais masculinos são representados por testículos emparelhados que, após 3,5 a 4 meses após o nascimento, começam a produzir espermatozóides. Durante um emparelhamento, o macho pode pegar até 3,5 ml.

O coelho tem um útero, um par de ovários, um oviduto, uma vagina e uma fenda genital, através da qual os processos de fertilização e de circunferência ocorrem.

Sistema nervoso e glândulas endócrinas

Como outros mamíferos, os coelhos têm um cérebro bem desenvolvido e medula espinhal, bem como o sistema nervoso periférico. O cérebro tem várias circunvoluções e uma grande quantidade de massa cinzenta faz com que esses animais sejam inteligentes. Ushastiki rapidamente acostumados ao cocho e bandeja, reconhecer os proprietários e gostam de gastar tempo em suas mãos.

As terminações nervosas permeiam todos os órgãos do corpo. Isso torna os coelhos sensíveis à dor e permite que eles reajam ao perigo mais rapidamente. De grande importância nos processos vitais dos animais são as glândulas endócrinas, que produzem hormônios e outras substâncias biologicamente ativas.

O hormônio tireoidiano, que produz glândula tireóide, é responsável pelo crescimento normal e desenvolvimento de animais jovens, bem como pelas reações de troca no corpo de coelhos. O pâncreas controla o processo de digestão dos alimentos e as glândulas supra-renais fornecem o metabolismo da água e da gordura.

Sem testículos e ovários, a reprodução desses animais é impossível, e a glândula pituitária produz mais de 10 hormônios diferentes que afetam positivamente o sistema nervoso e outros processos vitais.

Órgãos dos sentidos

Como os coelhos da natureza são o alimento principal dos animais predadores, os sentidos são de particular importância para eles, permitindo-lhes reagir a tempo a ameaças e esconder-se em tocas.

A visão desses animais é complexa. É representado por um par de olhos capazes de detectar cores. Os coelhos são perspicazes, mas eles não enxergam muito bem de perto.

Coelhos vêem perfeitamente no escuro e têm uma visão circular de 300-340 graus.

Graças às aurículas grandes ressonantes, os coelhos têm audição muito sensível. Eles são capazes de girar seus ouvidos em direções diferentes, captando sons de alta frequência, com a ajuda dos quais eles se comunicam entre si.

Os coelhos com orelhas caídas perdem a capacidade de ouvir bem e não conseguem sobreviver sozinhos em condições naturais.

Os coelhos têm um bom olfato e distinguem milhares de odores. Isso os ajuda a cabelos especiais que estão na cavidade nasal.

As papilas gustativas localizadas na língua permitem sentir o sabor dos produtos, e as terminações nervosas da pele proporcionam uma alta sensibilidade aos extremos de temperatura e à dor.

Como se o artigo fosse interessante e útil para você. Compartilhe com seus amigos nas redes sociais.

Escreva nos comentários sobre sua própria experiência de criação de coelhos.

Загрузка...

Categorias Populares